Mais Lidas
NUCA realizou audiência pública em Pirapora 05/12/2019 10:29

PROMOVER A IGUALDADE RACIAL

Autor(a): Larissa Rocha/Ascom/Licitação Foto: Luiz Rocha

A prefeitura de Pirapora, por meio do Núcleo de Cidadania dos Adolescentes (NUCA) e Secretaria da Família e Políticas Sociais (SEFAM), realizou uma Audiência Pública pela “Valorização da Identidade Negra”. O evento, promovido na quinta-feira (28/11), faz parte da programação do programa Selo UNICEF, dentro da temática do “Desafio 8: Promover práticas de enfrentamento ao racismo”.

“A desigualdade é uma marca do Brasil, infelizmente. Números de diversas pesquisas evidenciam o impacto que o racismo tem exercido sobre crianças e adolescentes, afetando a vida de todo o país, pois reforçam uma ideia equivocada de que negros, brancos e indígenas devem ocupar lugares diferentes na sociedade”, afirma a cartilha de orientação do Selo UNICEF.

Todo o evento foi organizado e conduzido pelos adolescentes integrantes do NUCA Pirapora, inclusive o cerimonial que conduziu os trabalhos com a jovem Jennifer Gabriela. A mesa de debates foi composta por: Jacyrana Sirqueira, assistente social e Coordenadora da Proteção Social Especial, representando a gestão da SEFAM e a prefeita Marcella; Jeferson Salgado, presidente da Juventude do Rede Sustentabilidade e acadêmico de Pedagogia da Unimontes; Luciana Galiza, mestre de Capoeira, professora e presidente da Associação Amae Berimbarte; e também o vereador Eder Danilo.

“O jovem negro tem mais dificuldades para acessar as coisas mais básicas da sociedade, como ensino, emprego, saúde. Ainda assim, quando consegue recebe a metade do valor que um jovem que não tem a nossa cor recebe. Além disso, quando falamos de como o preconceito está enraizado em nossa sociedade, é pela vida da população negra: os jovens negros têm três vezes mais chances de serem mortos do que jovens brancos. Essa violência se dá por fatores históricos do nosso país”, comentou o acadêmico de pedagogia, Jeferson Salgado.

Para a mestra de capoeira Luciana Galiza, o negro só poderá ser inserido na sociedade quando cada pessoa fizer o seu papel: “Quem está em situação de privilégio, precisa ceder espaço, pois precisamos equilibrar a balança. Os negros no Brasil estão literalmente atrás dos brancos, devido a todo nosso contexto histórico. Porém não somos escravos. Somos cidadãos que merecemos o nosso lugar de direito, com nossa cultura e ancestralidade”.

Além dos palestrantes o vereador Eder Danilo e a assistente social Jacyrana Sirqueira reforçaram a necessidade de se desenvolver políticas públicas de amparo efetivo à população negra, uma vez que não existem programas nem mesmo federais ou estaduais para garantir o combate ao racismo.

 

PARTICIPAÇÃO E EMPODERAMENTO

Para os integrantes do NUCA em Pirapora, ações como essa fortalecem muito o conhecimento dos jovens e da sociedade, pois quando compartilham experiência de vida, é possível pensar formar de respeitar a diversidade de cada pessoa, no intuito de mudar de atitude e eliminar o preconceito.

A coordenadora Ana Paula completa: “temos orgulho de realizar ações como essa, pois são pequenos avanços do dia-a-dia, que levam informação e encorajam nossos adolescentes a se amarem e lutarem por seus direitos. Agradecemos imensamente todo apoio da prefeita Marcella nas ações do NUCA”.

 

SERVIÇO

O Núcleo de Cidadania dos Adolescentes está situado à Rua Ministro Jorge Vargas, 49, Santo Antônio, ao lado da Contabilidade Rocha. O serviço é aberto ao público.