Mais Lidas
Prefeitura realizou I Seminário municipal sobre o tema 08/11/2019 17:27

ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA SEXUAL: UM TRABALHO EM REDE

Autor(a): Larissa Rocha/Ascom Foto: Orimar Santos

Nesta quinta-feira (07/11), foi realizado o I Seminário Municipal de Prevenção e Enfrentamento à Violência Sexual de Pirapora, com sucesso de público. A iniciativa do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) Aparecida, foi abraçada pela gestão da Secretaria da Família e Políticas Sociais, como forma de ampliar o debate acerca do tema que atinge pessoas de todos os grupos sociais.

O evento contou com a participação de mais de 800 pessoas, entre autoridades, profissionais das diversas áreas, acadêmicos, alunos do ensino fundamental e médio de escolas públicas e particulares de Pirapora.

“Este evento é marco na construção das políticas sociais em Pirapora. Fico feliz de ter abraçado esse ideia vinda do nosso corpo técnico e agradeço a sensibilidade das servidoras que propuseram este projeto. Em nome da prefeita Marcella, ressalto que a SEFAM está de portas abertas pra todas as pessoas que precisarem de acolhimento neste sentido”, reafirmou o secretário da Família e Políticas Sociais, Luiz Antônio Pulcherio.

O secretário Municipal de Governo, Sinvaldo Ales Pereira, cumprimentou a equipe da SEFAM pela mobilização popular em torno do tema: “Para combater dados tão alarmantes precisamos mesmo intensificar o nosso trabalho institucional. Por isso, a administração da prefeita Marcella está cada vez mais determinada a levar as políticas publicas para perto do povo”.

 

TESTEMUNHO EMOCIONANTE

O seminário contou com a participação marcante da jovem Eva Luana, que ficou conhecida nacionalmente por denunciar o padrasto abusador nas redes sociais. O depoimento da moça (que desencadeou uma campanha nacional com o lema “Lute como uma garota”) foi voltado para o fortalecimento dos vínculos entre as pessoas que sofrem abuso e aquelas que estão em volta das vítimas, no intuito de fortalecer a rede de proteção, principalmente para mulheres, crianças e adolescentes.

“Muitas pessoas que estão aqui já viveram ou souberam de alguém que passou pelo abuso sexual. Essa é apenas uma das formas de violência sofrida por quem convive com os abusadores. O peso psicológico e a sensação de culpa e medo são paralisantes. Por isso, devemos enxergar os sinais e acolher as pessoas que estão passando por essa situação”, frisou Eva Luana.

A jovem também parabenizou o trabalho educativo realizado em Pirapora, pois ficou encantada com a forma lúdica como a secretaria aborda com as crianças a proteção de suas vidas e seus corpos. “Vou levar daqui muitas ideias que aprendi hoje. Tenho certeza que se eu tivesse esse apoio quando era criança, poderia ter livrado eu e minha família do abuso muito antes”, enfatizou Eva Luana.

 

ENCORAJAR PARA DENÚNCIA E ACOLHER OS SUJEITOS

Um dos movimentos mais marcantes desse tema em nosso município é o projeto “Faça Bonito, conte pra alguém”, que é derivado da campanha nacional do 18 de maio. Desde 2017, o trabalho é realizado pelos técnicos e voluntários da SEFAM para sensibilizar as crianças, da faixa etária de 04 a 10 anos.

A “Turma do Defenda-se” apresentou um teatro lúdico e cativante para o público presente, ensinando as crianças a fugirem de situações desrespeitosas com qualquer pessoa. “Não se trata de ensinar às crianças o ato sexual, mas permitir que elas conheçam o próprio corpo e saibam nomear suas partes e tenham consciência de que o corpo é um espaço privado e precioso, que não pode ser violado”, esclarece a Coordenadora do CRAS Aparecida, Kelly Silva.

 

ENGAJAMENTO DOS SETORES DA SOCIEDADE

O seminário também foi um marco de integração entre os diversos setores do poder público que atuam na garantia de direitos e cuidados integrados no atendimento as vítimas.

A enfermeira Marina Correa Agapito, da Secretaria Municipal de Saúde, apresentou o fluxograma municipal de atendimento às vítimas de violência sexual de Pirapora, enfatizando as portas de entrada para as pessoas que precisam de atendimento.

Em seguida, o público presente participou com intervenções sobre a proteção, abordando suas ideias para maior eficácia na responsabilização dos crimes sexuais. Além da massiva participação do público, o momento contou com a resposta das diversas autoridades presentes, representantes dos setores da Educação, Saúde, Assistência Social, Segurança Pública, Judiciário, Ministério Público.

“Ficamos felizes em proporcionar uma oportunidade como esta para nossos munícipes. É muito importante essa troca de informações e esclarecimentos de dúvidas. Parabéns a equipe da SEFAM, que desempenha este trabalho”, finaliza a prefeita Marcella.