Mais Lidas
Secretaria de Saúde de Pirapora participa de atualização em rede de frio na GRS 24/11/2017 09:56

Secretaria de Saúde de Pirapora participa de atualização em rede de frio na GRS

Autor(a): kelly Cristina Foto: Ascom

Com o objetivo de melhorar o processo de manutenção da rede de frio das salas de vacina nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Pirapora, profissionais da área participaram da capacitação promovida pela Gerência Regional de Saúde, no dia 14 de novembro, em Pirapora. 

Segundo informou a coordenadora das Unidades Básicas de Saúde de Pirapora, Joice Quadros “os imunobiológicos são produtos termolábeis que necessitam de refrigeração para manter sua capacidade imunizante. É imprescindível a manutenção da rede de frio para assegurar a qualidade das vacinas disponibilizadas à população”, afirmou. 

A coordenadora de Imunização da GRS, Flávia Rocha Teixeira Mota falou sobre o encontro, ”falhas detectadas podem comprometer a efetividade da imunização, portanto, se faz necessário reforçar o uso de equipamentos apropriados nos locais de vacina, inclusive o ar-condicionado e a caixa térmica para uso externo. Também não é recomendado a geladeira duplex ou o descongelamento automático. O posicionamento das vacinas nas prateleiras é muito importante, pois não se deve encher demais. O sistema frost free deve ser evitado também devido à temperatura, pois a temperatura varia mais intensamente do que os refrigeradores com degelo manual. Além de soltar jatos de ar frio e de desligar em certa temperatura, com isso, a temperatura pode oscilar, causando a perda da potencia da vacina. Também não se recomenda geladeira com o termostato externo e dispensor de água. Portanto é necessário ler o rótulo para não haver erro. As câmaras refrigeradas já tem sistema de configuração de temperatura, basta ligar na tomada e colocar as bombinas de gelo nas laterais e aguardar 24 horas para verificar a estabilidade da temperatura interna. A capacitação dos profissionais responsáveis pela conservação dos imunobiológicos, as condições propícias para o trabalho e a construção de novos conhecimentos sobre a rede de frio, são elementos necessários para adequar a prática, evitando assim, riscos à qualidade do serviço”, explicou.