Mais Lidas
Três cidades participaram: Buritizeiro, Várzea da Palma e Jequitaí. 02/10/2017 16:25

Municípios debatem políticas sobre drogas

Pirapora sediou, no dia 29/09, a 3ª Conferência Regional de Políticas sobre Drogas.

Autor(a): Thiago Matos Foto: Ascom

Pirapora sediou, no dia 29/09, a 3ª Conferência Regional de Políticas sobre Drogas. O ato foi dividido em quatro eixos:  educação; redes sociais e mídias; participação cidadã do jovem; saúde, assistência social e segurança pública. Outras três cidades participaram: Buritizeiro, Várzea da Palma e Jequitaí.

De acordo com a assistente social Carla Valéria Soares Vita, que mediou a reunião, “foi uma oportunidade de integração dos quatro  municípios da região para compartilharem a temática e, juntos, construírem uma discussão a nível regional apresentando propostas capazes de melhorar a qualidade de vida dos jovens para que possam contribuir no processo de escolha no uso de drogas lícitas e ilícitas, bem como o aprimoramento dos serviços públicos ofertados principalmente pelas políticas sociais de saúde e assistência social”.

Durante o evento, o grupo de danças The Boys se apresentou e arrancou aplausos das centenas de pessoas presentes, entre professores, estudantes, assistentes sociais, psicólogos etc. Duas grandes palestras foram proferidas. A primeira, por Dr. Alysson de Morais Stefani, sobre política da saúde com propriedade/CAPS. A segunda por Egles Ferreira de Oliveira, que debateu o uso de drogas na juventude.

A secretária municipal da Família e Políticas Sociais, Heloísa Gribel, garantiu que outras Conferências a nível Regional se farão presentes em Pirapora, e disse estar satisfeita com a participação pública. “De fato, quando o espectador participa, há uma necessidade ainda maior em garantir que o serviço público seja efetivado. Assim, não existe sensação melhor que em ver esse Centro de Convenções lotado por pessoas que querem debater um tema tão delicado e importante, que é o combate ao tráfico de drogas. Estamos trabalhando no sentido de provocar essa discussão e trazer esse problema como um entendimento de que o enfrentamento é dever de todos”, despertou.