Mais Lidas
O evento aconteceu entre 9 a 13 de abril, no Centro de Educação Permanente em Saúde. 13/04/2018 12:42

SESAU-Pirapora promove I Semana da Vigilância Sanitária

A I Semana da Vigilância Sanitária de Pirapora, organizada pela Secretaria Municipal de Saúdealertacomerciantessobre a importância da segurança alimentar

Autor(a): Kelly Cristina ASCOM/SAÚDE Foto: Ascom

A I Semana da Vigilância Sanitária de Pirapora, organizada pela Secretaria Municipal de Saúdealertacomerciantessobre a importância da segurança alimentar.Participaram funcionários da saúde, de bares, restaurantes, lanchonetes, padaria, barbearia, salões, comércio de alimentos, ambulantes, hotéis, clubes recreativos, estúdio de tatuagens e motéis.

 

O evento que aconteceu entre 9 a 13 de abril, no Centro de Educação Permanente em Saúde destacao correto procedimento no manuseio dos alimentos, dando continuidade aos seus processos educativos que visa os cuidados com a higiene ambiental, dos equipamentos e alimentos, e ainda identifica possíveis falhas, além de mostrar a necessidade do cumprimento das normas sanitárias.

 

Para a fiscal sanitária, Ana Paula Neri de Azevedo, a saúde da população depende da responsabilidade de cada um no cumprimento dessas regras, “a Vigilância Sanitária fiscaliza e orienta, mas se os comerciantes não colaboram no dia a dia com a continuidade das regras, coloca em risco a saúde da população, pois somos obrigados por lei a liberar o estabelecimento após sanadas as irregularidades,  porque a Vigilância Sanitária faz a entrega do Alvará de acordo com a situação do estabelecimento no dia da inspeção. Por isso, a população é nosso maior aliado, pois quando denúncia um estabelecimento com procedimentos inadequados, por exemplo: bastante sujo facilitando a contaminação, esse local pode ser interditado até que tudo esteja funcionando de acordo com as normas estabelecidas”, informou.

 

A semana também esclareceu acerca da inclusão produtiva com segurança sanitária de acordo com aRdc49 para microempreendedor individual (MEI), empreendimento de economia solidária (EES) e agricultor familiar, informando as normas de fiscalização em estabelecimentos da área de alimentos e de serviços relacionados à saúde. Também ficou claro que os locaissujeitos a Rdc 49 não pagam mais a taxa de fiscalização sanitária e a sua primeira inspeção tem caráter orientativo. Somente não terá esse caráter, se houver no local perigo eminente à população.

 

Os estabelecimentos que produzem e comercializam alimentos ainda receberam instruções a respeito da Rdc216 relacionadasàs boas práticas de fabricação, além das legislações federais e municipais vigentes.

 

Durante todo o evento aconteceu um plantão administrativo para os estabelecimentos que precisavam solicitar o alvará sanitário. A licença sanitária também está sendo facilitada. Os interessados podem procurar a Visa, que funciona em horário comercial, no antigo hospital São Sebastião.