Mais Lidas
Manutenções mobilizam servidores do SAAE - Pirapora 01/03/2018 09:20

Manutenções mobilizam servidores do SAAE - Pirapora

Autor(a): Ascom Saae Foto: Ascom Saae

Com o compromisso de zelar pela qualidade da água, para que ela seja sempre pura e saudável, o SAAE – Pirapora tem realizado manutenções e limpezas nas Estações de Tratamento de Água, chamadas ETA’s 1 e 2. O que exige um trabalho diário de prevenção e planejamento, que é feito com dedicação pelos técnicos operacionais da autarquia.

Atualmente, o município conta com duas Estações de Tratamento de Água. A ETA1 que atende os bairros: Bom Jesus I e II, Centro, Sagrada Família, Aparecida, Santo Antônio e parte do Santos Dumont. E a ETA2 que atende os bairros: parte do Santos Dumont, Cidade Jardim, Nova Pirapora, São João, Cícero Passos, Industrial, Shekinah, São Francisco e Morada do Sol.

Para que uma ETA consiga operar de maneira produtiva e constante, diversas ações são necessárias. A manutenção preventiva e corretiva são exemplos de procedimentos que merecem atenção, especialmente, em razão dos benefícios expressivos para seu bom funcionamento.

De acordo com o responsável pela Seção de tratamento de Água e Esgoto - Setae, Angelucio Pereira da Cruz, a manutenção preventiva é a mais utilizada, pois há como prevê a possibilidade de um problema, visando a correção de alguma falha em equipamentos, antes mesmo que aconteça, evitando assim maiores prejuízos. Esse tipo de manutenção facilita a comunicação entre o SAAE e população, através de rádios ou mídiasdigitais, justamente pelo fator tempo. O serviço requer programação e eficácia na informação.

Já a manutenção corretiva, segundo Angelucio, consiste em reparar um defeitoque acontece repentinamente. É um serviço que requer mais agilidade, maior atenção, haja vista que trata-se de um fator inesperado e imprevisível. “Quando acontece algum problema como rompimento de rede, turbidez de água muito alta, bombas que quebram, dentre outros,procuramos de imediato resolver o problema para não prejudicar a população”. Ele acrescenta também os problemas eletromecânicos, compra de peças para reposição, que, às vezes, tem que vir de outra cidade e, o fator CEMIG, pois é necessário que se faça a interrupção de energia.

O chefe do Setae acrescenta ainda os fenômenos da natureza, outra ação inesperada e que requer agilidade por parte dos técnicos. “Estamos preparados para qualquer tipo de situação, claro que gostaríamos de avisar toda a população sempre que possível sobre a falta de água. Porém, muitas vezes os problemas acontecem de repente, e a nossa função é resolvê-los. Está certo que falta água, mas se analisarmos, não falta água todos os dias, e quando falta, não falta o dia todo, e o fornecimento não para em toda cidade. Sabemos das necessidades de toda populaçãoe, é por isso que procuramos ser eficazes para que aquele problema não perdure por muito tempo e acabe ocasionando uma situação ainda pior”, finalizou Angelúcio.

O Diretor Geral do SAAE, Esmeraldo Pereira, fala sobre a necessidade de se fazer as manutenções. “Tudo hoje, acarreta gastos e se não prevermos um problema, esse prejuízo pode ficar ainda maior. É exatamente esse o propósito deste tipo de serviço, evitar uma situação pior, como a falta de água constante e uma água sem qualidade. Aconselho a população que adquiriram caixas d’água com o maior número de litros possível e utilizem a menor quantidade nesses dias em que falta água. A política do SAAE é bem rígida nesse aspecto, a preocupação é de garantir uma água em quantidade e qualidade, para não pôr em risco a saúde pública”, relatou o diretor.