Trabalho Reconhecido

A Defesa Civil de Pirapora foi contemplada com um kit de equipamentos. Com objetivo de fortalecer o trabalho realizado no município e oferecer melhoria na atuação o kit possui: caminhonete S10, notebook, trena digital e cinco coletes.
 
A coordenadora de Defesa Civil, Carla Diana agradeceu ao governo estadual pela modernização dos equipamentos da pasta.
“Agradecemos ao Governo Estadual, pelo reconhecimento do nosso trabalho. Os kits vem para fortalecer a nossa atuação. Modernizar esses equipamentos é fundamental para melhorar o trabalho realizado pela Defesa Civil, quem ganha com essa ação é Pirapora.”
O prefeito Alex Cesar comenta a importância de ter uma equipe capacitada para atuar frente da Defesa Civil.
 
“É importante ressaltar o esforço e o compromisso da Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil de Pirapora, que apresentou um projeto bem estruturado e hoje foi contemplada, com esse kit, como forma de reconhecimento dos bons trabalhos realizados. Estes equipamentos chegam em ótima hora, e irão auxiliar na melhora das ações de defesa civil em nosso munícipio. Vamos trabalhar cada dia mais para oferecer segurança e qualidade de vida para nossa população”.
 
A escolha das cidades que receberiam o material foi através de processo seletivo, na qual a coordenadoria da Defesa Civil do município apresentou projetos, documentos e ações que contaram pontos.

CUIDAR DE QUEM PRECISA

Na última sexta-feira, 30/08, a Prefeitura de Pirapora, através da Defesa Civil realizou a doação de roupas, agasalhos, cobertores e alimentos para pessoas em situação de vulnerabilidade. A ação foi conjunta com a Secretaria da Família e Políticas Sociais e contou com o apoio da Apas, Corpo de Bombeiros, Policia Militar e EMUTUR na arrecadação de agasalhos e cobertores.

 “Nós distribuímos alimentos para realização do sopão na Associação dos Catadores e Recicladores de Pirapora (Ascarpi) e no assentamento José Bandeira. Temos observado a situação difícil que muitas famílias estão passando nesse período e cabe a Defesa Civil intervir”. Comenta Carla Diana, coordenadora da Defesa Civil. 

A motivação dessa ação, veio através do alerta de frio intenso para a nossa região. Com isso o trabalho conjunto realizado entre poder público e população foi importante, para prevenir que pessoas em situação de rua e com moradia sem isolamento, sofresse com as baixas temperaturas. O prefeito Alex Cesar acredita que esse trabalho foi a oportunidade para demostrar que o piraporense tem abraçado as causas da nossa cidade.

 “Fizemos essa força tarefa para cuidar dos mais necessitados. Nenhuma vida pode ser perdida pelo frio e fome, o nosso dever é promover políticas públicas e ações emergenciais para proteger as pessoas. Agradeço aos parceiros e a cada piraporense que contribuiu para realização dessa campanha.” Comenta o prefeito Alex.

PREFEITURA DE PIRAPORA ANTECIPA PLANO DE PREVENÇÃO A ALAGAMENTOS EM ÁREAS DE RISCO

O secretário municipal de Governo, Paulo Rogério, representando o prefeito Alex César, e a coordenadora da Defesa Civil Municipal, Carla Diana, vistoriaram áreas de risco em Pirapora. A visita faz parte do trabalho preventivo que integra o plano de contingência da Defesa Civil.
As áreas são consideradas de risco porque são vulneráveis a alagamentos e a Prefeitura está desenvolvendo ações efetivas para minimizar esse impacto. “Nosso objetivo é apresentar ao prefeito, através do secretário de Governo, os nossos projetos de solução a curto, médio e longo prazo”, explica a coordenadora.
Foram vistoriados a bacia do Aeroporto, pontos de alagamento no bairro Nova Pirapora, canal de escoamento no bairro Aparecida e a bacia do Cícero Passos. “Precisamos nos antecipar e agir antes da chuva, pois esses alagamentos recorrentes estão desgastando a população. Mesmo com pouco tempo de governo, já estamos trabalhando no plano de ação para solucionar definitivamente os problemas de drenagem, que, infelizmente, vêm de muitos anos”, finaliza o secretário Paulo Rogério.

PREVENÇÃO CONTRA DESASTRES

Precaução é o caminho mais seguro quando falamos de Defesa Civil e em busca de se preparar para possíveis desastres a coordenação da Defesa Civil de Pirapora iniciou a elaboração de um Plano de Contingência.
Ele é desenvolvido a partir da análise e mapeamento de riscos e prováveis cenários, identificados como relevantes, caracterizados como hipóteses de desastres. O planejamento segue as seguintes prioridades: preservação de vidas, diminuição ou limitação dos impactos causados pelo desastre, minimização de seus efeitos, preservação do meio ambiente, dos sistemas coletivos e proteção das propriedades.
A coordenadora de Defesa Civil, Carla Diana explicou o objetivo desse planejamento “O papel do Plano de Contingência no município de Pirapora é de nortear as ações de cada secretaria vigente, diante de uma situação emergencial. Além disso, ele busca mostrar o papel de cada setor, as ações que cada um vai desenvolver, no contexto de situação de emergência como, por exemplo, inundações ou alagamento.” Finalizou Carla.
Para finalizar os últimos detalhes desse planejamento a Defesa Civil se reuniu com o Tenente João Carlos, comandante do 4º Pelotão de Bombeiros Militar de Pirapora. No encontro ficou alinhado os procedimentos que cada instituição deve adotar em situações de alerta, desde socorro, assistência e restabelecimento. Todas as ações previstas são formas de reduzir os danos e prejuízos decorrentes de um desastre.

Limpeza no pluviômetro de Pirapora

A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil de Pirapora realizou no mês de março a limpeza no pluviômetro automático instalado na Estação de tratamento de água (ETA II), localizado no Distrito Industrial.
O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), possui mais de três mil pluviômetros automáticos instalados em todo o Brasil. Esses equipamentos, junto com radares, estações hidrológicas, estações agrometeorologicas e estações de medição de chuva e umidade, compõem a rede observacional o que possibilita que seja monitorado em tempo real os riscos de desastres naturais relacionados ao excesso e escassez de chuva. Todos os alertas são encaminhados para a coordenação da Defesa Civil municipal.
A coordenadora de Defesa Civil, Carla Diana, explica a importância de fazer a limpeza e manutenção dos pluviômetros.
“Para que os pluviômetros automáticos possam funcionar de forma adequada, eles devem ter uma limpeza frequente, para evitar o acúmulo de folhas, galhos e resíduos em geral, os quais impedem a devida coleta e medição da chuva.” Finaliza Carla.

Trabalho preventivo na bacia do Cícero Passos

Devido a intensa chuva que aconteceu nos últimos dias, atingindo a precipitação acumulada de 146, 08 mm no município de Pirapora a Defesa Civil em conjunto com o Corpo de Bombeiros e a Policia Militar realizou um trabalho de vistoria e orientação para remoção dos moradores do entorno da bacia do Cícero Passos.
O dia foi voltado para informar e auxiliar os moradores do entorno, monitorar o nível de água, orientar sobre os cuidados para evitar acidentes. A equipe da defesa civil também colocou à disposição um caminhão para retirar os bens e um abrigo provisório preparado para receber as pessoas e seus pertences.
Carla Diana, coordenadora da Defesa Civil em Pirapora, falou que o trabalho realizado foi com a intenção de mitigar os prejuízos materiais ocorridos nos anos anteriores.  A Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil vai atuar com ações preventivas, resposta e recuperação junto com todos os órgãos e setores parceiros em caso de desastre.

Prevenção em tempo de chuva

Na última quarta-feira, (20/01), a coordenadora da Defesa Civil, Carla Diana de Souza, junto com a secretaria Virgínia Oliveira e o engenheiro Rodrigo Soares, visitaram a bacia de águas pluviais do bairro Cícero Passos. Localizada no centro do bairro o “lago” foi projetado para comportar a água da chuva e evitar alagamentos.

Com o passar do tempo o que era para ser solução se tornou um problema para os moradores do bairro, pois a bacia não comporta mais o volume de água destinada a ela, transbordando e alagando as casas do entorno.  Com objetivo de antecipar que desastres como esse voltem acontecer a equipe da defesa civil visitou as casas localizadas na área de risco, fez o cadastro dos moradores e passou orientações em caso de chuva.

No cadastro foi informado quantas pessoas vivem na residência, se tem alguém com necessidades especiais e em caso de alagamento se o morador possui outro lugar para ficar. Em cada visita Carla Diana explicou que a prefeitura pretende fazer o monitoramento do nível de água e acompanhar a previsão do tempo.

“Com esse trabalho vamos acompanhar de perto o volume de água. E em caso de chuva forte com risco de alagamento, faremos o trabalho de retirar a pessoas e seus bens do local. Nosso objetivo é amenizar a perca patrimonial em caso de alagamentos” finalizou Carla.  O morador José Norval explicou que já perdeu diversos móveis em outros anos.

“Já entrou água na minha casa três vezes, perdi estante, guarda roupa e outros móveis, a água veio de madrugada enquanto eu dormia, por sorte acordei e vi a tempo de me salvar, mas meus móveis se perderam todos” finalizou Norval.

O Prefeito Alex Cesar comenta que essa ação da defesa civil é um paliativo enquanto o projeto para solução definitiva do problema não fica pronto.

Pirapora fica em alerta após barragem em Três Marias abrir vertedouro

A Prefeitura de Pirapora, através da Defesa Civil Municipal, visitou e inspecionou neste fim de semana as ilhas da Pimenta, Marambaia e do Coqueiro, localizadas em nosso município.

A ação ocorreu após a CEMIG divulgar a abertura parcial das comportas da Usina Hidrelétrica de Três Marias, que acorreu na última sexta-feira, 28. A empresa emitiu uma nota à imprensa, na qual afirma que o reservatório criou uma poupança suficiente para ser utilizada ao longo da estação seca, partindo de 56,97% em 01 de janeiro, para o nível atual, de cerca de 88%.

Segundo a CEMIG, a vazão será de 1.500 m³/s, mais o volume de água que os afluentes a jusante da barragem jogarem no Rio São Francisco, especificamente os das bacias do rio de Janeiro, rio Abaeté e outros rios de menor porte. O que pode aumentar, consideravelmente, a partir de chuvas intensas nessas bacias.

De acordo com a Defesa Civil, a visita constatou que apesar do rio ter subido de forma considerável, ainda está dentro do aceitável. O órgão fez algumas observações e recomendações para os ribeirinhos, principalmente para os moradores da Ilha da Pimenta. A ordem é ficar em alerta com qualquer mudança drástica do rio, além de tomar medias e precauções para proteger móveis e pertences pessoais.

Forte chuva pode atingir cidades do Norte de Minas

O Sistema de Meteorologia e Recursos Hídricos de Minas Gerais (SIMGE) fez uma alerta nesta quinta-feira, 23, sobre a possibilidade de uma tempestade severa em grande parte do Estado de Minas Gerais, para as próximas 24 horas. São temporais com capacidade de provocar granizo, vendavais, tornados, raios e chuva torrencial.

Segundo a previsão meteorológica a atuação da Zona de Convergência do Atlântico Sul, intensificada pela formação de um sistema de baixa pressão, deverá produzir volumes de chuva significativos, com acumulados entre 100 e 150mm, nas próximas 24 horas, não se descartando acumulados próximos aos 200mm.

Além de Belo Horizonte e Região Metropolitana, outras cidades poderão ser atingidas. No Norte de Minas a previsão é de que essa forte chuva passe por Pirapora, Januária, Montes Claros e Bocaiúva.

Orientações da Defesa Civil neste período chuvoso:

1) Devem elevar materiais, como cama, colchão, geladeira, para ficar numa altura maior para não perder esses bens que as pessoas levaram anos pra conquistar.

2) Qualquer sinal de movimentação de solo, aumento de água, trinca em paredes essas pessoas devem abandonar suas casas imediatamente. E, após o nível dessas águas baixarem, chamar a Defesa Civil para fazer uma vistoria para ver se é seguro retornar à casa ou não.

3) Não se aventurar em atravessar áreas inundadas, nem caminhando e nem de carro.

4) Não consumir nenhum tipo de alimento que teve contato com essas águas, que são contaminadas. E, se tiver contato, procurar a rede de saúde para receber medicamentos e evitar contaminação, porque a pessoa pode depois adoecer, e a situação vai só piorando.

Defesa Civil capacita profissionais no Norte de Minas

Entre os dias 3, 4 e 5 de setembro aconteceu no Centro de Convenções do município, o Curso Regionalizado de Gestão em Proteção e Defesa Civil. A capacitação é uma inciativa do Gabinete Militar do Governador de Minas Gerais e da Defesa Civil do estado, apoiado pelas prefeituras de Pirapora e Buritizeiro.

A Defesa Civil que além de trabalhar na prevenção de desastres, também tem como objetivo reunir um conjunto de ações, que visa a recuperação e assistência da população, com o intuito de preservar a moral da sociedade e restabelecer a normalidade social.

Diante deste cenário o órgão montou um curso dinâmico e diversificado. Segundo o tenente-coronel da Polícia Militar, Flávio Godinho, que é coordenador adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, a capacitação tem questões pontuais que visa fortalecer os coordenadores municipais, para que eles tenham ações mais resilientes e possam ter conhecimento para um futuro enfrentamento de qualquer tipo de crise. “Há algumas demandas que são pontuais, porém, nossa carga horária contempla diversas matérias, que vai do acionamento do estado, através da defesa civil, a outras ações medicadoras ou de prevenção e recuperação. Pois, se o município tiver conhecimento do serviço de prevenção, com um plano de contingência muito bem desenhado, qualquer recuperação ou enfrentamento de crise ficará mais fácil”, salientou Godinho.

De acordo o com o coordenador da Defesa Civil em Pirapora, Jair Gomes, este curso é de suma importância para o município e para a região. “É a primeira vez que essa capacitação acontece aqui. Foi um esforço conjunto das prefeituras de Pirapora e Buritizeiro. Lembrando que este curso tem um público-alvo específico que é a Defesa Civil, porém, nós conseguimos colocar profissionais de outras secretarias, como ação social, saúde, educação e infraestrutura. Além de colaboradores do SAAE, comerciantes, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Marinha. Porque nossa ideia era integrar a sociedade e dar uma visão do que é a Defesa Civil. Pois, a Defesa Civil é simplesmente o poder público em conjunto com todos, então, a participação da população é importante. Com as orientações corretas, numa situação de emergência, o cidadão terá consciência e tranquilidade para tomar a melhor decisão”, comenta Jair. 

Essa visão é compartilhada pelo chefe do Gabinete Militar do Governador e Coordenador Estadual da Defesa Civil-MG, coronel da PM, Rodrigo Souza Rodrigues. “Estamos aqui num curso regionalizado, treinando, orientado e informando esses participantes, para atuar dentro do sistema da defesa civil. Pois, a nossa atuação não é somente nas grandes catástrofes, a crise pode virem várias situações, na chuva ou na seca. Nosso papel é estar preparado e, neste caso específico, capacitar a sociedade para atuar em conjunto com a Defesa Civil”, disse o coronel Rodrigues.

Ainda de acordo com o coordenador estadual, a atuação da Defesa Civil é vasta, está presente em todos os espaços. “Estamos aqui para trazer soluções para qualquer evento. Nossa missão é ajudar, diminuir o sofrimento, seja num caso de rompimento de barragem, enchentes ou na seca. A crise pode ser causada por vários fatores, por isso, esse curso visa capacitar as pessoas a falarem a mesma língua. Mas não se trata apenas de tragédia, estamos aqui também para ensinar a montar projetos, que podem trazer recursos para o município. Como, por exemplo, no combate a incêndio ou na compra de alimentosno período de estiagem”, explicou o coronel Rodrigues.

O curso foi prestigiado por várias autoridades, políticas e militares. Estiveram presentes na abertura, o Secretário de Municipal de Governo, Sinvaldo Pereira, que representou a prefeita Marcella Fonseca, o Secretário Municipal da Família e Políticas Sociais, Luiz Antônio Pulchério, a Secretária de Saúde, Maria Cândida Fiuza Costa, o Diretor Geral do SAAE, Esmeraldo Pereira Santos, o Capitão de Corveta da Capitania Fluvial do São Francisco, José Carlos Eusébio, omajor do 55º Batalhão da Polícia Militar de Pirapora, Wilson Fabiano, o comandante do Corpo de Bombeiros de Pirapora, tenente Carlito Pereira Filho e o representante da Associação dos Municípios da Bacia do Médio São Francisco – AMMESF, Adelson de Almeida.