Os avanços do programa Mãe piraporense

O Centro de Saúde da  Mulher está oferecendo consultoria gratuita de amamentação pelo SUS, caso a mulher esteja com dificuldades para amamentar, sentindo dor na mama ou fissuras, ducto obstruído e outras dúvidas ligadas a gestação, pode procurar o centro e as unidades de saúde.

“Dentro da consultaria de amamentação além das orientações e avaliação das mamas um dos diferenciais deste atendimento é a laserterapia que além de tratar algum problema na mama, estimula a produção láctea. Outro diferencial do programa é a utilização do instrumento chamado plano de parto, a carta da mãe como ela deseja seu parto. O preenchimento está sendo realizado pela parceria com a atenção primária garantido a humanização do atendimento da gestante”, informou a enfermeira e coordenadora, Sabrina Rocha.

“Amamentar é emocionante, mas pode ser desafiador”, Luci Sobievisky.

Dando continuidade as etapas de implantação do programa de governo Mãe piraporense no Centro de Saúde da Mulher, a Secretaria Municipal de Saúde está ofertando, duas consultas de puericultura ao bebê ( com 30 dias e 06 meses) com o pediatra Dr. Getúlio.

O programa “Mãe Piraporense” aconteceu na cidade em três etapas. Na primeira foram realizadas capacitações dos profissionais da rede materno-infantil, depois o inicio do programa nas unidades e no Centro da Mulher. Nessa última etapa, o programa já acontece de forma plena e efetiva com a avaliação dos indicadores no mês de julho e as premiações às unidades em destaque.

O sucesso deste programa está na parceria com a rede de atendimento da gestante, puérpera e recém nascido, atenção primária e as unidades de saúde, CEAE, fundação hospitalar que acreditaram no programa e na relevância dele para a diminuição dos índices de mortalidade materno infantil, humanização do parto, melhoria da amamentação exclusiva até os 06 meses.

Qualquer dúvida em relação a maternidade, como por exemplo o desenvolvimento da diabetes gestacional, podem procurar o Centro de Saúde da Mulher. A diabetes gestacional é um tipo de diabetes que ocorre especificamente durante a gestação e, sem tratamento, pode levar a uma série de complicações. Na maioria dos casos, a doença não provoca nenhum sintoma, para a mãe, os riscos incluem chance aumentada para pré-eclâmpsia, parto prematuro, diabetes no futuro e risco de aborto. O tratamento é feito com o acompanhamento médico, principalmente com dieta balanceada, atividade física regular e medicamentos, como o uso de insulina subcutânea.

Ato em Pirapora celebra Luta Antimanicomial

A Secretaria de Saúde de Pirapora por meio da Saúde Mental e Atenção Primária, organizaram uma caminhada para celebrar o 18 de maio, Dia Nacional da Luta Antimanicomial, com o tema: “Do rio ao mar: somos os povos que navegam em confluências contra os genocídios, para a justiça triunfar”.

A caminhada aconteceu nesta sexta-feira às 8h, no dia 17 de maio, na Orla Fluvial da Avenida Salmeron. O tema escolhido é fruto de um processo de construção coletiva que começou ainda em janeiro deste ano. “A luta antimanicomial e o movimento pela conquista e garantia dos direitos das pessoas com sofrimento mental, por uma sociedade sem manicômios, pelo cuidado em liberdade, para superação do preconceito as doenças mentais e a favor da vida em sua diversidade”, ressaltou Giselle Carneiro Mendonça, coordenadora da Saúde Mental de Pirapora.

A data remonta ao congresso de trabalhadores de serviços de Saúde Mental ocorrido em 1987, na cidade de Bauru (SP), momento em que a disposição por mudar a então situação dos manicômios e promover uma reforma psiquiátrica humanizante, ganha ainda mais força.

Em 2001, a lei 10.261 foi aprovada e considerada o marco da reforma psiquiátrica no país. Apesar da legislação e do fechamento de muitos manicômios, as comunidades terapêuticas persistiram e ganharam espaço no governo passado. O Movimento da Luta Antimanicomial ainda trava novas batalhas para que não haja financiamento público para essas comunidades e enfrenta forte resistência de setores conservadores.

A Secretaria Municipal de Saúde Pirapora acredita na acessibilidade, igualdade, tolerância, inclusão e busca o fortalecimento destas políticas.

Sucesso na 1º Jornada de Experiências Exitosas da Atenção Primária à Saúde de Pirapora

Nos dias 7, 8 e 9 de maio aconteceu a 1º Jornada de Experiências Exitosas da Atenção Primária à Saúde de Pirapora e a celebração da Semana da Enfermagem. O evento teve a abertura solene no Portal de Eventos e seguimento no Centro de Educação Permanente em Saúde. Contou com a parceria da BioMarin Brasil,  empresa farmacêutica presente no Brasil desde 2007, levando as melhores e mais modernas terapias aos pacientes que vivem com doenças genéticas raras. “A nossa cultura gira em torno da crença de que nenhuma doença deve ficar sem tratamento, e nossa equipe é incentivada a descobrir, desenvolver e comercializar medicamentos que forneçam aos pacientes, suas famílias e cuidadores, esperança para as situações em que não havia o que fazer”, destacou a representante comercial da Biomarim, Elisabeth Costa.

“A comunidade BioMarin reflete o progresso que buscamos na promoção de uma força de trabalho, diversificada, equitativa e inclusiva”, destacou o enfermeiro e diretor assistencial da saúde, Gilson Paulo Santos Nascimento, que  na oportunidade, no dia 8, ministrou a palestra: Os 30 anos de saúde da família.

Neste ainda foi realizada a palestra com o tema: “Saúde Viver na APS de Pirapora”, por Mariana Cláudia Pereira Barbosa e a palestra educativa da Biomarim Brasil sobre as MUCOPOLISSACARIDOSES E ACONDROPLASIA por Dra Ellen Fernandes, endocrinologista, pediatra do hospital das clínicas UFMG, professora do curso de medicina da FUNORTE, que elucidou que a Acondroplasia é o nome da doença rara, popularmente conhecida como  nanismo.

“O nanismo pode afetar mulheres e homens indistintamente que, salvo raríssimas exceções, mantêm a capacidade intelectual preservada e podem levar vida normal e de boa qualidade. Em muitas situações, porém, as pessoas com nanismo são obrigadas a lidar com o preconceito e a discriminação social e a contornar as dificuldades de acesso em ambientes preparados para receber pessoas mais altas. Por isso, muitas vezes, precisam de ajuda para realizar tarefas simples, como utilizar o caixa eletrônico e transporte público, por exemplo, alcançar os produtos nas prateleiras de supermercado ou abrir uma porta. Também podem sentir dores no corpo”, explicou a médica Helen Fernandes, responsável pela capacitação de doença rara no Norte de Minas.

“Na BioMarin nos consideramos pioneiros dispostos a buscar novas soluções para abordar os desafios sérios e debilitantes impostos pelas doenças raras. Somos motivados pelo desejo de ajudar a melhorar a vida dos pacientes com necessidades médicas ainda não atendidas”, e por isso estamos aqui para dar a Atenção Primária de Pirapora, todo o apoio necessário ao diagnóstico e tratamento precoce da acondroplasia e das mucopolissacaridoses, pois forneceremos a partir de então, os testes genéticos para todos os casos suspeitos identificados pelos profissionais da APS, que nos for direcionado,  explicou Elizabeth Costa.

“Este evento é mais uma oportunidade para promover saúde de qualidade a população de Pirapora”, afirmou o secretário de saúde, Rafael de Paula Lana.

Na parte da tarde, deu início às apresentações de Experiências Exitosas na APS, com a apresentação do “Cantinho da Criança”, pela equipe da UAPS Santa Mariana, “A APS no Cuidado aos Idosos em Instituições de Longa Permanência”, pela equipe da UAPS Antônio Senra, e o “Circuito Saúde”, pela equipe da UAPS Vereador Ulde Gomes.

Na quinta-feira, 9, teve a palestra: O papel do enfermeiro na assistência ao paciente oncológico por  Marcus Vinícius Brant, seguida da apresentação das experiências exitosas:  “Fluxograma de atendimento de uma Unidade de Atenção Primária à Saúde”, pela equipe da UAPS Joseilson Fonseca, “Monitoramento na APS de Pirapora” pela  equipe de monitoramento, planejamento e avaliação da coordenação de APS.  E ainda, “Acolhimento, triagem e classificação de risco pelo enfermeiro, com o Sistema Viver”, pela equipe da UAPS São Geraldo 3.

Para a coordenadora da Atenção Primária à Saúde, Aline Fagundes, essa primeira Jornada representa um momento importante no resgate do cuidado, “sempre celebramos o dia do Agente Comunitário de Saúde, o dia do Dentista, dia do Enfermeiro, e do Médico, mas desta vez resolvemos fazer uma jornada de todos”. E homenagear enfermeiros, técnicos e todos os profissionais. Nosso objetivo é, “integrar os participantes em uma rede sistêmica de conhecimento, como forma de dar visibilidade as experiências realizadas dentro da Saúde da Família, bem como, valorizar a criatividade, a atitude científica e a inovação das pesquisas na área da Atenção Primária à Saúde, possibilitando um ambiente de análise e reflexão que permita o aperfeiçoamento técnico, cientifico e cultural, com vistas ao fortalecimento da APS”, destacou a coordenadora.

No encerramento conforme avaliação da banca, houve empate entre as experiências “Fluxograma de atendimento de uma Unidade de Atenção Primária à Saúde” e “Monitoramento na APS de Pirapora”, e então ambas levaram o primeiro lugar, que foi uma decisão com o intuito de demonstrar o reconhecimento da SESAU quanto a importância da produção científica para a saúde de Pirapora, de forma a promover a motivação das equipes para novas produções e publicações na esfera da saúde, reforçou o secretário de saúde, externando muita satisfação em ver as experiências produzidas pelos profissionais da APS de Pirapora, pois esse é o legado que fica.

Saúde Mental no Caminho para o Cuidado em Liberdade

Na ânsia por uma vida digna para todos e na luta a favor do fechamento de manicômios, a Saúde Mental de Pirapora começou as mobilizações em torno de políticas públicas em busca da formalização de novas legislações para o fortalecimento da atenção psicossocial, nos caminhos para o cuidado em liberdade.

O evento aconteceu nesta quarta-feira 8, na parte da tarde, onde foram realizadas duas palestras sobre saúde mental, e o convite para uma caminhada em alusão ao “Dia Nacional da Luta Antimanicomial”, que neste ano será realizada no dia 17 de maio, na Orla Fluvial na Avenida Salmeron, às 7he30min em Pirapora.

A psicóloga e integrante do Fórum Mineiro de Saúde Mental, Marta Elizabete de Souza falou que é necessário lutar por políticas de redução de danos.“Lutamos pela inclusão. Lutamos pelas pessoas e portanto é necessário maior envolvimento do Estado. Falta políticas públicas de inclusão para estas pessoas. É necessário darmos oportunidade, capacitação e possibilidade de uma vida digna com cuidado para todos. O governo precisa criar alternativas para essa situação. Afinal de contas, que vida é essa que estamos oferecendo para esses seres humanos? Qual é a política do MDS no Brasil?  Cada vez que a sociedade fica mais excludente, mais pessoas adoecidas vão aparecer. É importante combater os atos infracionais, mas é necessário analisar a magnitude do ato infracional, ouvir todas as pessoas envolvidas, está faltando diálogo. São pessoas que precisam do apoio e do suporte do Estado e da sociedade, pois ninguém foi feito para viver sozinho. O dia 18 de maio é o ‘Dia Nacional da Luta Antimanicomial’. Como bem disse, Angela Davis: A Luta pela Liberdade é uma luta constante”, concluiu a psicóloga.

Para a psicóloga, mestre em Politicas Públicas e Justiça Social, Leisenir Oliveira, não é possível fazer política pública sem o coletivo. “É preciso que os municípios façam as suas próprias políticas e não espere somente pelo Estado, pois é um assunto complexo, e é uma luta em que o Estado adota ou não. Cada município precisa se fortalecer politicamente, onde tem grupo condutor funciona diferente. A GRS, por meio da gerente Tariana Diniz e a Secretaria de Saúde através do secretário Rafael Lana precisam pautar na CIB a respeito da criação de investimentos e politicas públicas de inclusão para essas pessoas”, explicou a psicóloga, M. e supervisora de clínica institucional, Leisenir Oliveira.

O prefeito de Pirapora, Alex Cesar falou sobre a história da luta pelos direitos das pessoas com sofrimento mental, e sobre o combate à ideia de que é necessário isolar as pessoas com a adoção de tratamentos contraditórios, “o que só aumentava os preconceitos relacionados à saúde mental”. E citou como exemplo o documentário: ‘Holocausto Brasileiro’, que conta histórias vividas por pacientes e funcionários do hospital Colônia de Barbacena.

Estiveram presentes no evento, o prefeito de Pirapora, Alex Cesar, o secretário de Saúde, Rafael Lana, a gerente regional de saúde, Tariana Diniz a coordenadora de saúde mental, Giselle Carneiro, e as coordenadoras dos CAPS 1, Josiane Rodrigues e CAPSIJ, Pauliely dos Santos. Além de vários profissionais da área, entidades, policia civil, educação e diversos outros segmentos. Além de depoimentos teve apresentação de poesia.

1º Jornada da Atenção Primária à Saúde de Pirapora e Semana da Enfermagem

Nesta terça-feira, 7, no Portal de Eventos foi realizada a abertura da 1º Jornada de Experiências Exitosas da Atenção Primária à Saúde de Pirapora.

A coordenadora da Atenção Primária, Aline Fagundes falou da alegria de celebrar  a semana da enfermagem, “o evento tem por objetivo dar mais visibilidade as ações da saúde da família. Temos um papel vital. Somos os guardiões do primeiro contato, e os pilares da saúde no momento de necessidade. O ideal é que permaneçamos firmes para servir com integridade e respeito, nutrindo a esperança e a cura”, destacou.

Para a representante da Câmara Municipal de Pirapora e presidente da Comissão de Saúde do Legislativo, Shirley da oncologia, “contamos com essa administração há um ano atrás quando lutamos juntos para melhorar o piso da enfermagem. O que seríamos de nós sem vocês na última pandemia de Covid que todos enfrentamos”, lembrou a vereadora.

“Houve um reconhecimento da classe. Hoje realizamos o pagamento do piso tanto para o técnico quanto para o enfermeiro. Essa valorização dos profissionais é importante. Também temos a alegria de anunciar que teremos duas unidades de saúde sendo entregues, com profissionais capacitados para cuidar e salvar as vidas”, disse o presidente da fundação hospitalar e secretário de governo de Pirapora, Paulo Rogério Silveira.

“É preciso que nossas escolhas sejam baseadas na esperança” ressalta o secretário de saúde de Pirapora, Rafael Lana, e continuou; “as críticas vão acontecer e vai servir para o nosso crescimento, mas é importante que vocês acreditem em vocês. Só assim pudemos enfrentar a pandemia e muitas vezes carregando pessoas negacionistas que não acreditavam na vacina para vacinar. E por meio do nosso trabalho fomos noticiados em Montes Claros e outras mídias. Agora, somos referência na macro, construimos um relatório de gestão, o Plano Anual de Saúde baseado em metas, o protocolo de enfermagem, um serviço de qualidade para a pessoa ostomizada; reconstruimos fluxos, a busca ativa na Atenção Primária  e reconstruimos o programa Melhor em Casa e, com tudo isso e muito mais a saúde alcançou níveis elevados de excelência, garantiu o secretário de saúde de Pirapora.

Durante o evento também foi comemorado os 30 anos de saúde da família. E aconteceu a palestra: “Aspectos Éticos e Legais da Saúde da Família”, com o diretor financeiro e responsável pelo Coren em Pirapora, o enfermeiro Leandro Bandeira. O evento também contou com a presença do diretor, alunos e profissionais da FAC/Funam e com o presidente do Conselho Municipal de Saúde de Pirapora, Reginaldo Miranda.

 

 

Reavaliação em domicílio de pacientes do SASPO

Em abril, o Serviço de Atenção à Saúde da Pessoa Ostomizada esteve presente nas cidades; Ponto Chique, Ibiaí, Várzea da Palma e Buritizeiro para reavaliação dos pacientes que fazem uso das bolsas de colostomia e urostomia.

“São pacientes que precisam ser avaliados a cada quatro meses na sede do SASPO em Pirapora, mas devido a fragilidade de alguns usuários e dificuldade em estar vindo até o serviço, a enfermeira do SASPO, Lucy Sobieski, em parceria com as Referências Técnicas dos Município se organizaram para levar o serviço até o domicílio, contribuindo, assim, para continuidade do cuidado”, explicou a coordenadora Priscilla Miranda.

Encontro para dialogar e alinhar fluxos na Saúde Mental da Atenção Básica e Serviço Social

A Secretaria de Saúde de Pirapora realizou uma reunião intersetorial da equipe multidisciplinar da Saúde Mental da Atenção Básica no dia 29, juntamente com o Serviço Social – com a participação dos CRAS e CREAS. O evento teve como objetivo; alinhar fluxos e protocolos entre os serviços.

Segundo o psicólogo e Referência Técnica da Saúde Mental na Atenção Básica, Wesley Fabricio, “esses momentos são fundamentais para fortalecer a RAS e consequente o desenvolvimento de estratégias para ofertar um serviço mais eficiente para população”, relata o psicólogo.

A promoção da Saúde Mental na Atenção Básica é importante. A conversa com um profissional qualificado pode significar para o paciente uma compreensão mais profunda sobre o seu estado mental e a somatização.

CAPSIJ realiza assembleia para fortalecer o protagonismo dos usuários

Nesta quarta-feira, 24 de abril, o CAPSIJ realizou uma assembleia que tem como objetivo o fortalecimento do protagonismo dos usuários.

Além da Assembleia também aconteceu uma reunião de família no CAPSIJ e a comemoração dos aniversariantes do mês de abril. O evento contou com a presença da presidente da Associação de Autismo “Cuidar”, Luanna Mayara, e também com a doação de bolos e docinhos de comerciante local.

Abril é o mês da conscientização do Câncer de Testículo

Nesta quarta-feira, 24, às 9 horas, foi realizada uma palestra ministrada pelo médico urologista Dr. Lucas Fraga, no CEPS em Pirapora. O evento “Abril Lilás” marca o mês de conscientização do câncer de testículo e foi organizado pelo Setor de Acolhimento aos Pacientes Oncológicos, através da coordenação da Atenção Especializada à Saúde, Priscilla Miranda dos Santos, a referência do setor de oncologia, Sonja Flores Gomes e a acadêmica de nutrição Barbara Corrêa. Esta ação contou com a parceria do diretor de Vigilância em Saúde, Mário Cristiano Cunha e da Vigilância em Saúde do Trabalhador, Gabriela de Oliveira Cavalcante.

Na abertura do evento, o Dr. Lucas Fraga proferiu a palestra sobre a prevenção, os sinais e os sintomas sobre o câncer de testículo, e destacou os fatores de risco, “a maioria dos tumores de testículos surge sem causa definida, porém alguns fatores podem aumentar a probabilidade de desenvolvê-los, como no caso de homens que têm pai ou irmãos com histórico da doença, estes devem ficar atentos já que a hereditariedade é um dos fatores de risco desse tipo de câncer. Outras situações que devem ser observadas são: puberdade precoce, criptorquidia e o chamado testículo contralateral. O diagnóstico é feito pelo urologista através da história clínica e do exame físico que pode indicar uma nodulação palpável no testículo, além do exame ultrassonográfico da bolsa escrotal, e exames laboratoriais como a dosagem de marcadores tumorais”, explicou.

Ele também fez um alerta para se ter cuidado com o uso indeterminado de hormônios que, pode causar insuficiência cardíaca e atrofia dos testículos. “Não usem nada sem o conhecimento do seu médico”, alertou.

O estudante Rodrigo Siega, falou em nome do 2º e 3º ano da Escola Estadual Luiz Balbino de Pirapora, e destacou que; “é necessário que haja no país e no estado, mais políticas públicas voltadas para a saúde e bem estar do homem”, analisou o estudante.

Para o psicólogo Dr. João Batista, a prevenção é fundamental na qualidade da saúde do homem; “é importante realizar uma escuta sem julgamento. A escuta do psicólogo é uma escuta qualificada e específica. É muito difícil para um homem quando recebe um diagnóstico por exemplo: sobre a retirada do testículo. E em muitos casos os homens tem vergonha de se tratar e de procurar um sistema de saúde. Por isso, é necessário que toda a família realize uma escuta humanizada. Nessa hora, o acolhimento e a escuta do próximo são essenciais para descobrir o que de fato está acontecendo com aquela pessoa, pois quando uma pessoa recebe um diagnóstico de câncer, muitas vezes ela se fecha e pode até passar por uma crise de depressão sem falar nada com ninguém. E nesses casos a participação em grupo é fundamental. É importante estar rodeado de pessoas, e participar de grupos, ou seja: se inserir na comunidade e receber o apoio necessário”, disse.

A referência técnica do setor de oncologia, Sonja Tatiana agradeceu a presença e a participação de todos em nome da Secretaria de Saúde de Pirapora.

Capacitação dos servidores da saúde sobre a nova Lei de Licitações e Contratos

Nos dias 17 e 18 de abril, aconteceu um treinamento para os profissionais da área de saúde, no Centro de Educação Permanente de Pirapora, sobre a Nova Lei de Licitações e Contratos (Lei 14.133), nos processos de contratações públicas.

O secretário de Saúde de Pirapora, Rafael Lana, explicou que a medida visa fortalecer e garantir que todas as áreas estejam preparadas adequadamente para implementar as novas diretrizes. “A compreensão a esta legislação é fundamental para o sucesso e transparência dos processos licitatórios”, afirmou o secretário.

O diretor de Planejamento, Administração e Finanças da Sesau, Leandro Bandeira falou sobre o processo e os principais avanços da SESAU, “todo o processo exige um planejamento muito extenso, empenhamos e aumentamos a equipe. Então, trabalhamos em conjunto e com transparência para que não tenha falhas e para garantir legalidade, como por exemplo, na aquisição de; medicamentos, veículos, locação de unidades, material para o programa Saúde Viver, material de enfermagem e tantos outros. Um exemplo dos avanços eu posso citar a unidade do Sagrada Família, que vai mudar na próxima semana para um local bem melhor”, disse. Ele também falou sobre o relacionamento com fornecedores e a necessidade de maior integração e colaboração de todos os setores da Sesau.

O presidente do Conselho Municipal de Saúde, Reginaldo Miranda falou que o conselho está aqui para somar, “Rafael está com a melhor equipe de saúde; de um a 10, eu dou nota 9, todos estão trabalhando com o recurso que tem e se desdobrando, lembrando que sempre pode melhorar, penso que vocês precisam participar das conferências de saúde pois são de lá que saem as boas ideias. Nosso dever é fortalecer o SUS e a SESAU por meio do conselho e do controle social”, diz Reginaldo.

A procuradora responsável pelo processo de Licitação da Prefeitura de Pirapora, Janielle Campos, destacou, “tudo que chega a população é por meio de licitação e contrato. A secretaria de saúde está de parabéns por nos chamar para falar sobre a nova licitação. A nova legislação muda alguns aspectos”. Ela destacou a dissonância cognitiva e seus reflexos na tomada da decisão judicial criminal, e o  princípio da segregação de funções onde são vedadas a designação do mesmo agente público para a atuação simultânea em funções mais suscetíveis a riscos, de modo a reduzir a possibilidade de ocultação de erros e de ocorrência de fraudes na respectiva contratação.

No dia 18 de abril, o evento continuou no CEPS, para a aplicação da parte prática, apresentação de experiências e modelos. O treinamento foi direcionado aos coordenadores que puderam levar consigo 2 funcionários de cada setor, para auxiliar no tratamento da demanda e na organização dos documentos referentes à fase de planejamento das licitações.